• Semana de Formação – Professos OSM em SJC

    Entre os dias 24 a 27 de julho o grupo de Professos Temporários estiveram em um momento de oração e formação no Convento Nossa Senhora das Dores, em São José dos Campos – São Paulo. O Encontro foi dirigido pela Ir. Julia Maria da Silva Irio, da Congregação das Irmãs Terciárias Capuchinhas da Sagrada Família. Com o tema: “Vida Consagrada”, a Irmã Julia desenvolveu várias reflexões sobre a vida consagrada no contexto atual da Igreja e da sociedade. Os professos testemunharam que o encontro foi muito proveitoso, dinâmico e edificante, para a continuidade da caminhada formativa.

    leia mais
  • Poema “Maria e as Filhas de Jerusalém” (Fr. Ignazio M. Calabuig, osm)

    Poema “Maria e as Filhas de Jerusalém” (Fr. Ignazio M. Calabuig, osm)

    Extraída da Celebração “Regina Coeli”, composta pelo Pe. Fr. Ignazio M. Calabuig, OSM (2005) – traduzido por Fr. Clodovis M. Boff, OSM)

    POEMA “MARIA E AS FILHAS DE JERUSALÉM”

    leia mais
  • CONSTRUINDO UMA NOVA HISTÓRIA…

    CONSTRUINDO UMA NOVA HISTÓRIA…

    Depois da Construção do Novo Convento Nossa Senhora das Dores, em São José dos Campos, chegou a hora de dar um importante passo para uma nova construção: O Santuário de São Peregrino Laziosi. Para isso o antigo Convento está deixando de existir. Quanta história!!!!

    leia mais
  • Missas de São Peregrino são celebradas nas Paróquias e comunidades da Província

    Missas de São Peregrino são celebradas nas Paróquias e comunidades da Província

    Neste Sábado, 04 de Fevereiro, todas as comunidades da Província recordam o protetor contra o mal do Câncer, São Peregrino Laziosi, em suas celebrações litúrgicas.
    Conheça um pouco mais da vida de São Peregrino Laziosi.

    leia mais

osm-historia-001

A Ordem dos frades Servos de Maria (OSM), também conhecidos como “Servitas”, foi fundada em Florença, Itália, no ano de 1233, por sete ricos comerciantes, pertencentes à classe média emergente.

Os Sete nutriam uma particular devoção a Nossa Senhora e ram membros de uma confraria chamada Associação-mor de Santa Maria. A pertença ao mesmo ramo de negócios e à mesma classe social, e a comum devoção à Virgem Maria levaram nossos Sete Primeiros Pais a se unirem com laços de profunda amizade.

Diante de uma situação social de guerras e intrigas entre facções conflitantes – por um lado, os guelfos, partidários do papado; e por outro lado, os gibelinos, partidários do império germânico – nosso Sete Primeiros Pais quiseram dar um testemunho de unidade e de paz, isto é, de que era possível viver como irmãos.

Por isso resolveram abandonar seus negócios e famílias e, dispostos a não guardar nada para si, venderam os seus bens, deixando o suficiente para sua famílias e distribuindo o resto aos pobres. Depois, reuniram-se em comunidade numa casa abandonada na períferia da cidade, que mais tarde se chamaria “Santa Maria de Cafaggio”, onde está hoje o célebre Santuário da Santíssima Anunciada.

Nessa casa, viviam como se fossem “um só coração e uma só alma”, levando uma vida austera, dedicada à oração, à contemplação, à penitência, à mendicância e às obras de caridade em favor dos pobres e doentes.

A Virgem Maria era a grande inspiradora do novo grupo religioso que nascia. Por isso, assumiram o nome de “Servos de Santa Maria”.

LEIA MAIS